Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Brainstorming 2.0

Um blog que é basicamente um consultório de um psicólogo onde se fala de tudo sem restrições ou medos.

Brainstorming 2.0

Um blog que é basicamente um consultório de um psicólogo onde se fala de tudo sem restrições ou medos.

Será só a mim que isto acontece?

   A sério. Gostava mesmo de saber se é só a mim que isto acontece ou se também acontece com vocês.

   Fala-se muito do facto dos candidatos a ofertas de emprego "desaparecerem" durante o processo de recrutamento e selecção ou de se "esfumarem" logo nos primeiros dias de trabalho sem dar qualquer justificação. Mas e o fenómeno do ghosting por parte dos recrutadores?

   Comigo já não é a primeira vez que acontece. A última vez foi mesmo antes de arranjar este novo emprego. Ora então, estava eu a trabalhar no lar de idosos e costumava ter o telemóvel comigo porque continuava a enviar candidaturas para ofertas de emprego e queria estar o mais disponível possível. Numa segunda-feira de manhã ligam-me, não atendi logo porque estava a trabalhar mas retornei a chamada uns 15 minutos depois. A recrutadora de uma daquelas empresas de trabalho temporário e recursos humanos, bem conhecida por sinal, faz-me algumas questões e marcámos uma hora para fazer entrevista por vídeochamada, no dia seguinte ao final da tarde para ser fora do meu horário de trabalho.

   Na terça-feira, o dia da entrevista, faltava meia hora para eu sair do trabalho quando recebo uma mensagem da recrutadora a pedir para alterar a entrevista para o dia seguinte, quarta-feira. Respondi à mensagem a dizer que não havia problema e se lhe fosse mais conveniente poderia ser de manhã porque nesse dia ia estar de folga. Não me respondeu mas como já passava das 17 horas imaginei que já não estivesse em horário de trabalho. Entretanto, ligaram-me de um outro local não relacionado para marcar uma entrevista presencial, também para quarta-feira. Apesar de ser muito apertado em termos de tempo, aceitei porque não ia desperdiçar uma oportunidade.

   Na quarta-feira fui então à entrevista presencial para a outra oferta de emprego e vir a correr para casa para poder fazer a entrevista por vídeochamada com a recrutadora. Enviei mensagem a dizer que estava pronta para realizar a entrevista, estive mais de meia hora online entre o Skype e o Whatsapp à espera de ser contactada e nada. Nem uma chamada, nem uma mensagem, *puff* a  recrutadora desapareceu.

   O curioso disto é que a entrevista presencial a que fui nesse dia deu frutos e fui seleccionada! Agora imagine-se que eu tinha recusado essa entrevista por já ter a entrevista por vídeochamada marcada para esse dia: tinha ficado a ver navios.

   Sendo eu da área da Psicologia e sendo que quero enveredar pela área de Recursos Humanos e principalmente Gestão de Empresas, devo dizer que não entendo o ghosting por parte dos recrutadores (também não o entendo quando é por parte dos candidatos). Compreendo que este é um período difícil para o pessoal que trabalha em Recursos Humanos, muito trabalho, muitos candidatos, procedimentos que têm de mudar e adaptar-se rapidamente. Mas caramba, não custa enviar uma mensagem a dizer que já não estão interessados em fazer a entrevista, que já encontraram outra pessoa para a vaga, que simplesmente pensaram melhor e não tenho o que é necessário para aquela vaga. Eu como candidata perdi tempo a fazer a candidatura, a tentar organizar a minha vida para poder fazer a vídeochamada e perdi meia hora à espera da tal vídeochamada. Não era difícil a recrutadora perder 2 minutos a enviar uma mensagem a justificar o porquê de ter desaparecido. Até porque estas coisas dão muito má imagem às consultoras de recursos humanos, da minha parte não quero ter mais nada a ver com aquela empresa.

Imagem retirada do site dinheirovivo.pt