Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Brainstorming 2.0

Um blog que é basicamente um consultório de um psicólogo onde se fala de tudo sem restrições ou medos.

Brainstorming 2.0

Um blog que é basicamente um consultório de um psicólogo onde se fala de tudo sem restrições ou medos.

Framing Britney Spears

   Começo por esclarecer que embora faça parte da geração nascida nos anos 90, nunca fui o que se pode considerar uma fã da Britney Spears, mas gosto de algumas músicas dela, são verdadeiros hits daquela época. Vi o documentário do The New York Times há uns dias por curiosidade e fiquei chocada. De facto, a Britney teve a vida dela escrutinada ao pormenor, foi perseguida em praça pública, não sei quantos de nós aguentariam tal coisa. Alguns pontos que sobressaíram para mim foram:

  • O foco nas questões de género e sexualidade. Desde quando é admissível perguntar a quem quer que seja se é virgem? Isso faria com que tivesse uma voz mais poderosa? Ou questionar se colocou implantes mamários, mas que raio? Ou perguntar o porquê de ter enveredado por uma imagem pública mais sensual, isso é proibido? E quando uma mulher quer tomar as rédeas da sua vida é uma diva, se for um homem é simplesmente porque tem sentido de iniciativa.
  • A diferença de tratamento que recebeu depois do término da relação com o Justin Timberlake. Sou fã do Justin, mas de facto ele não agiu da melhor forma. Independentemente de ter sido a Britney a causa da ruptura ou não, lavar roupa suja em praça pública não é aceitável. Até porque parece que todo o mundo partiu do princípio que ela era culpada e lhe tinha partido o coração mas duvido que ele tenha sido um anjinho durante esse período.
  • Surpreendeu-me uma entrevista que ela deu no início da carreira, em que dizia que o maior sonho dela era casar e constituir família e que adorava a música mas apenas se via a fazer isso como part-time. E que sentia que estava a perder muita coisa na vida. Acredito que a maioria das pessoas não perceba o que ela quis dizer com isso mas a verdade é que nos primeiros anos de carreira ela lançou imensos albúns, fez digressões, duvido que tivesse tempo para simplesmente aproveitar a vida. E assim que teve oportunidade de abrandar a vida profissional, casou, talvez com a pessoa que não era mais adequada, e teve dois filhos, muitos próximos um do outro. E divorciou-se logo a seguir. Tudo isto enquanto era perseguida por paparazzi e via a vida dela comentada por todo o mundo.
  • As filmagens das perseguições que os paparazzi lhe faziam são horríveis, como é possível que não existiam formas de proteger as pessoas disto? Sobretudo as filmagens dela sentada num café, com o filho ao colo, rodeada de paparazzi, a chorar sem saber o que fazer... dá vontade de a proteger tendo em conta o quanto o mundo se aproveitou dela, os media e as pessoas que faziam parte da equipa dela. Mostra também o quão importante são as pessoas que nos rodeiam.
  • O incidente do guarda-chuva e o rapar o cabelo. Parece-me que era provável que ela não estivesse nas suas plenas capacidades quando o fez, mas aquilo era a imagem de uma pessoa em profundo desespero sem saber o que mais fazer para a deixarem em paz.
  • A tutela do pai sobre ela. Na altura em que foi aprovada, acredito que fosse necessária para a proteger de si mesma e das pessoas no círculo dela que apenas se queriam aproveitam. A verdade é que nem me passou pela cabeça que essa tutela ainda estivesse em vigor. Quer dizer, passado pouco mais de um ano de ela ter sido internada por motivos psiquiátricos, já ela estava a preparar um novo álbum e digressão. E depois veio outro álbum. E a série de concertos em Las Vegas. E participações em séries de televisão. Mais de uma década depois ainda se justifica esta tutela? Não há certezas não tendo acesso a todas as informações. No entanto as tutelas são muito comuns no caso de pessoas idosas, que vão perdendo as suas capacidades cognitivas com o tempo, o que significa que normalmente a tutela nunca é revogada porque continua a ser necessária, ou então pessoas com défices cognitivos significativos sem prognóstico de melhoria. Mas no caso da Britney, pelo menos o que vemos em público, é que ela voltou a adquirir as suas faculdades mentais. Então para quê a tutela? Será por interesses financeiros?

   Tudo isto são suposições. Mas este documentário fez-me olhar para a vida da Britney de outra forma. Sinto que realmente muita gente, e a sociedade em geral, falhou com ela. E percebe-se o porquê de ela ter desaparecido das luzes da ribalta nos últimos anos. Espero que isto nos sirva de lição para olhar para a saúde mental e para os limites que se devem impor aos media com outra perspectiva.

Imagem retirada do site theringer.com

3 comentários

Comentar post